DSC03305
DSC03307
DSC03309
DSC03310

Moura a gostar da sua música e dos seus músicos: Luís Martins

 24 Junho de 2014

A chuva está para lavar e durar, mas agora abrandou até deixar de se ouvir na cobertura do terraço. Sentados num sofá, o Tiago e a Telma avaliam a consistência da trégua, entreolham-se, e decidem arriscar. Esta será a única gravação em casa do próprio cantautor. Chez Luís Martins, com diria Delphine, a sua cara-metade.

A água reluz no chão do terraço e espelha todos os passos dos preparativos, numa corrida contra o tempo: disposição dos microfones, afinação da viola, sound check, captação de fotografias. A trovoada ronda por perto e, já não restam dúvidas, vai querer participar. O aviso está dado e, para bom entendedor, …

O Tiago percebe os sinais do tempo e manda avançar o Luís, que escolhe sentar-se numa banheira deitada ao contrário. Em fundo, o jardim da Porta Nova e o silo de cereais. O primeiro tema chama-se Já houve quem nisso acreditasse. Música de intervenção no seu melhor e com cereja em cima: um trovão desaba a pontuar o final. Mais sublime não podia ser. Nem encomendado se conseguiria um milagre assim. Perfeccionista como é, o Luís vai querer ouvir a gravação e achar-lhe defeitos. Em resumo: vai querer repetir. Então, e o trovão? Esse é irrepetível! – atiram-lhe para o desarmar. Começa então a eterna discussão sobre a fronteira entre música e barulho. Quer se queira quer não, o som deste trovão já faz parte desta música. Fulminou-a! E por isso também é música, sem deixar de ser barulho. Cada um é livre de interpretar como quiser. É por estas e por outras que A música portuguesa a gostar dela própria chegou para interpelar consciências e para desconstruir ideias feitas sobre o que é a música, neste caso a música portuguesa. Afinal, como diz o Tiago, o mais importante é o som, incluindo o da fúria dos elementos.

Um relâmpago estala num pára-raios próximo. Avaliam-se as condições, entreolhamo-nos todos e decidimos arriscar de novo porque o tempo urge. Saímos para a rua, correndo de beiral em beiral, entre os pingos da chuva, com o refrão do segundo tema ainda a ecoar: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 // Há ratos por todo lado // Nos armários, na retrete //.

Filipe Sousa

 

Ficha Técnica
Luís Martins
Moura / R. 9 de Abril // 16.00 // gravações
Música de intervenção

Alinhamento
Já houve quem nisso acreditasse
Ratos

Realização
Tiago Pereira

Som
Telma Morna

Fotografia
ADCMoura

Produção
ADCMoura

 

 

Leave a Comment

You must be logged in to post a comment.

adidas eqt turbo red collection adidas eqt racing 9116 boost white green black green adidas eqt racing 91 footwear white green adidas eqt racing 91 16 boost black white adidas eqt racing 91 adidas eqt racing 91 returns primeknit uppers spring adidas eqt racing 9116 adidas eqt support 93 boost august 4th adidas eqt support 93 adidas nmd r1 2017 olive maroon porter adidas nmd chukka adidas nmd chukka black white red blue adidas nmd city sock white gum adidas nmd r1 black blue tab adidas nmd r1 blanch blue adidas nmd r1 red camo adidas nmd r1 boost nomad lush red camo black white adidas nmd r1 raw pink release date adidas nmd r1 raw pink adidas nmd r1 raw pink release date