olá

Dezembro 2018
S T Q Q S S D
« Jun    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

“Tendências e negócios” e “A minha cidade tem ideias”, a 22 de Janeiro

Quais são as tendências emergentes que estimulam os negócios?
Como podem as empresas explorar estas tendências?
Que novas ideias, que novas pistas podemos seguir para criar um negócio?

Se já se colocou estas questões, tendo ou não como objectivo criar/desenvolver uma iniciativa empresarial, participe no ateliê TENDENCIAS E NEGÓCIOS, que terá lugar a 22 deJaneiro de 2014, entre as 10h e as 13h, na sede da ADCMoura.

A sessão é gratuita e aberta a todas as pessoas interessadas no tema, podendo dizer-se que será de interesse redobrado para:
– promotores/as de projectos empresariais
– pessoas à procura de uma ideia de negócio
– empresas que querem desenvolver novas ideias

Pretende-se:
– estimular a criatividade do/a promotor/a de projecto
– explorar ideias e apresentar casos concretos bem sucedidos
– promover a entreajuda entre participantes

A sessão organiza-se em 3 momentos:
Tempo 1 – Apresentação das tendências, as suas evoluções, a tradução nas empresas.
Tempo 2 – Apresentação de ideias criativas/inovadoras que tiveram uma saída no mercado (conceitos, ideias novas…)
Tempo 3 – Brainstorming colectivo, dando aos participantes a possibilidade de apresentarem as suas ideias de negócio (reais ou imaginárias) ao grupo. Vamos partilhar ideias, estimulando a entreajuda entre participantes (co-construção).

DSC01117

Cidade criativa: o que é?
Qual o papel de cidadãos e cidadãs na reanimação cultural, social e económica da cidade?

Se o tema lhe interessa, participe no ateliê A MINHA CIDADE TEM IDEIAS, que terá lugar a 22 de janeiro de 2014, entre as 14h e as 17h, na sede da ADCMoura.

As cidades têm a necessidade de inovar, de ser mais criativas, e todas as pessoas que nela residem têm um papel essencial na proposição e desenvolvimento de ideias. O conceito de cidade criativa surge pela primeira vez na década de 1980, quando muitas cidades europeias enfrentam uma crise industrial, económica e cultural. Charles Landry, urbanista e publicitário, vai definir o conceito de cidades criativas. Segundo ele, todas as cidades têm mais recursos do que se imagina e, para reanimar a economia, os/as cidadãos/ãs devem desenvolver a criatividade nos seus territórios (sejam estes áreas urbanas ou rurais), através de acções culturais, de espaços de trocas solidárias, entre outras iniciativas, fazendo crescer a economia local e assegurando uma vida melhor para os seus habitantes.

Em 2004, com base nas experiências iniciais na sequência de Charles Landry, a UNESCO lançou a Rede de Cidades Criativas, tendo como objectivo proteger e promover a diversidade cultural e incentivar o desenvolvimento da criatividade e o desenvolvimento social e económico das comunidades locais.

Pretende-se:
– Detectar e desenvolver o potencial inovador da cidade e dos cidadãos/ãs
– Estruturar projectos para o futuro
– Elaborar propostas concretas

A sessão organiza-se em 2 momentos :
Tempo 1 – Apresentação de ideias simples e facilmente transferíveis – Dar a conhecer ideias novas que estão a ser implementadas em varias cidades/vilas ao nível mundial.
Tempo 2 – A partir das ideais apresentadas, realização de um ateliê de criatividade com os participantes

 <><><><><><>

É animadora de ambos os ateliês Agnès Soulard.
Há mais de 20 anos, concebe e anima projectos de cooperação ao nível europeu, trabalhando especialmente sobre problemáticas de desenvolvimento territorial e empresarial.
Anima ateliês de criatividade e inovação para diversas entidades, como a Associação Industrial Portuguesa, o Nersant, Comunidades intermunicipais e empresas privadas.

Inscreva-se aqui
ou através dos seguintes contactos: adcmoura@adcmoura.pt | TEL 285 25 49 31 | TLM 96 73 28 824

 

Comments are closed.